Apitaço e buzinaço alertam sobre a falta de segurança para as mulheres em Uberlândia

Ação de iniciativa da vereadora Cláudia Guerra aconteceu como forma de manifestação contra os casos de estupro e outras violências sofridas por mulheres na nossa cidade no início deste mês.

A atuação do nosso mandato em defesa das mulheres é constante em Uberlândia e em Minas. A última ação realizada aconteceu no início deste mês, em decorrência dos seguidos episódios de violências sexuais contra mulheres na nossa cidade, noticiados pela impressa local. Casos que tiveram notoriedade graças a mídia, mas sabemos que infelizmente tais fatos acontecem diariamente e muitos nem chegam a nosso conhecimento.

Foto: Assessoria vereadora Cláudia Guerra.

Como forma de alertar a população e cobrar do executivo ações efetivas para a segurança das mulheres, promovemos no dia 07 de maio na Praça Ismene Mendes (antiga Tubal Vilela), o “Apitaço Contra o 3$tuprØ”. Mobilização que contou com a presença da população, mandato da colega vereadora Gilvan Masferrer, representantes da Atlética Engenharia UFU, SOS Mulher e Família, dentre outros; com apoio da Polícia Militar.

Foto: Assessoria vereadora Cláudia Guerra.
Foto: Assessoria vereadora Cláudia Guerra.

O ato se estendeu para um buzinaço em semáforos da região central próximo à praça, chamando atenção da população que passava pelo local. Motoristas manifestaram repúdio aos estupros ocorridos, não somente neste mês, mas de forma definitiva!  Muitos(as) condutores(as) e pessoas que passavam pelo Centro não sabiam dos acontecimentos e se indignaram com a segurança insuficiente para as mulheres atualmente em Uberlândia.

CASOS DE VIOLÊNCIA OCORRIDOS

Maio começou com muita preocupação e insegurança para moradores(as) da nossa cidade, mais especificamente para as mulheres. Em 02/5 uma jovem de 26 anos foi estuprada pela manhã a caminho do trabalho. A vítima foi abordada por um homem, arrastada para um matagal, amarrada e estuprada pelo criminoso que em seguida fugiu e a largou no local. O autor do crime ainda não foi identificado.

Ao longo da mesma semana outros casos foram noticiados pela imprensa. Situações de tentativas de estupro, assedio em transporte público e perseguições a mulheres assustaram a população que se mobilizou nas redes socias alertando sobre cuidados para evitar mais relatos de violência. Em postagens pessoas começaram a comentar inúmeras outras situações que aconteceram e a constante insegurança das mulheres em Uberlândia ao transitarem pelas ruas.

PROJETO PARADA SEGURA

Durante as sessões de maio me posicionei em tribuna destacando problemas que agravam o medo das mulheres pelas vias da cidade. Locais com falta de iluminação adequada, terrenos vagos com mato alto, falta de policiamento, além da questão do transporte público durante a noite, que poderia parar mais próximo das casas de mulheres e pessoas mais vulneráveis, diminuindo o trajeto percorrido e assim o receio de abordagens violentas.

Nosso mandato propôs no ano passado o projeto de lei “Parada Segura”. Avanço já colocado em prática em diferentes cidades do Brasil, que consiste na parada do ônibus fora dos pontos, após as 22h00, para mulheres, idosos(as) e pessoas com deficiência. Infelizmente não foi aprovado aqui na Câmara e indicado ao prefeito não foi colocado em prática.

Após esses graves episódios de violência sexual estamos em movimentação para retornar com o projeto para uma nova votação na Casa; precisamos de 14 assinaturas dos vereadores(as) para que haja esse retorno. A medida é urgente e extremamente necessária. Não podemos esperar que mais vítimas sofram consequências da falta de atenção da prefeitura.

Guilherme Rocha – Assessor Parlamentar de Comunicação – 17/05/2022

compartilhe este post:

plugins premium WordPress