Crescimento dados da Covid-19

CLÁUDexplica

Quer entender o que está acontecendo em relação aos números da Covid-19 em Uberlândia? A gente te explica de um jeito simples.

Sabe quando resolve fazer dieta e na primeira semana você emagrece pra valer? Aí, aproveita a bondade da balança e come um docinho? Adiante um churrasco? Uma cervejada porque está cansado de trabalhar em casa? Resultado: o ponteiro da balança volta a subir!

Esse efeito sanfona é mais ou menos o que a gente vê em Uberlândia e outras cidades brasileiras, com o afrouxamento inadequado das medidas sanitárias, com insuficiente fiscalização e testagem da população. Na época das medidas restritivas em nossa cidade, com comércio funcionando parcialmente e toque de recolher, em 6 de maio, tivemos uma queda do número de casos, que foi de 33% em relação aos 14 dias anteriores. Em 11 de maio, várias atividades foram retomadas, com baixa fiscalização. No dia 20, a curva havia subido em 13%. Crescimento total de 46%.

A reabertura precisa ser gradual, acompanhada de fiscalização, controle e vigilância. Preferencialmente, com vacina para todos e todas. Além disso, campanhas educativas em todos os meios de comunicação possíveis, batendo na tecla do que realmente funciona: máscara, álcool em gel, distanciamento físico e imunização em massa. 

O número de mortes na cidade recuou, mas Uberlândia registra hoje 324 óbitos para cada 100 mil habitantes, segundo o Comitê UFU COVID. A Hungria, país que apresenta o pior indicador do mundo, registra 304,3 óbitos a cada 100 mil habitantes. No Brasil, são 207. Ou seja, Uberlândia possui altas taxas.

Outro perigo: a cepa indiana, que está causando um cenário grave naquele país, chegou comprovadamente ao Brasil. Todo cuidado é pouco. O vírus mudou, mude você também!

Seriedade na interpretação dos dados, vacina e direito à vida. É assim que vamos enfrentar juntos(as) essa pandemia, sem o fantasma de uma terceira onda que nós mesmos(as) corremos o risco de provocar.

compartilhe este post:

plugins premium WordPress